Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Histórico
Início do conteúdo da página

Histórico

Suas raízes históricas fundem-se na completude da nação brasileira, no transcurso secular das primeiras paragens da expansão Vicentina em Paranaguá e das explorações Bandeirantes em busca das reduções jesuíticas do Guaíra, levadas a termo por Afonso Botelho, o desbravador do Paraná. Por sua vez, Santa Catarina desmembrou-se do Rio Grande do Sul em 1738, sendo base de povoamento da região sulina.

Juntos, Paraná e Santa Catarina foram alçados como importante conjunto unitário geoestratégico da porção austral do Brasil, com forte viés para o apoio logístico e recrutamento de pessoal e meios mobilizáveis, o que viabilizou a consolidação territorial do sul e sudeste brasileiro.

Dessa monta, urgiu na região a necessidade em se estabelecer sistemas de defesa, bem como devida organização militar e territorial que permitisse o incremento das privilegiadas benesses naturais e regramento ordeiro de seu povo.

Nesse contexto, a nascitura República viria a ensaiar seus primeiros e ainda indecisos passos em 1889. À época, havia acirradas disputas entre federalistas e confederados e os monarquistas radicais ainda se faziam presentes, colocando em risco a integridade nacional.

Dentro deste cenário conturbado, cria-se, em 2 de julho de 1891, o 5º Distrito Militar, abrangendo as tropas sediadas no Paraná e em Santa Catarina. Seu primeiro comandante foi o General Cândido Costa. Nessas terras, de selvagem e exuberante beleza natural, soldados silentes, provenientes das Colônias Militares e seus familiares, sustentavam a segurança indispensável aos que desejavam se aventurar pelos Campos Gerais e regiões lindeiras.

Ato contínuo à sua criação, o 5º Distrito Militar recebeu seu batismo de fogo na Revolução Federalista de 1893, quando protagonizou um dos mais grandiosos episódios da história da pátria: o “Cerco da Lapa”.

Neste, o General Antônio Ernesto Gomes Carneiro, à frente de militares e voluntários civis, defendeu férrea e valentemente a localidade lapeana, transmutando-a em cidadela, trocando espaço por tempo durante 26 dias. Possuía, para tanto, 639 homens contra mais de 3000 adversários comandados por Gumercindo Saraiva. Isto negou ao inimigo região capital de passagem, tornando-se ponto de inflexão nevrálgico na esteira da Revolução Federalista.

Além dele, o curitibano, Coronel do Exército e da Polícia Militar do Paraná, Cândido Dulcídio Pereira, destacou-se na mais ferrenha batalha do Cerco da Lapa, falecendo por ferimento em combate ao deter o avanço do inimigo.

Outros mártires se destacaram nesse episódio épico, tais como, o Coronel Joaquim Resende de Correia de Lacerda, tendo sido senador pelo Paraná e comandado mais de 600 homens em batalha. Já o Coronel Clementino Paraná, atuou no 1º confronto em solo paranaense, tomando de assalto, com apenas 20 homens, uma importante estação ferroviária, ocupada pelo inimigo. Por fim, o Capitão Augusto Maria Sisson, no comando das forças de Artilharia, atuando com tenaz resistência por 30 dias, findando somente ao acabar com a última granada existente.

Faz-se mister dignificar a frase lapidar do General Gomes Carneiro, em seu leito morrediço, decurso de ferimento letal de combate, ao proferir: “HÁ UMA ORDEM SÓ: RESISTÊNCIA A TODO TRANSE”.

Isto posto e realizado, permitiu que tropas federais se desdobrassem, a partir de Itararé, impedindo a progressão dos revoltosos até a capital do país, então Rio de Janeiro.

Em 1912, por evolução do conceito de Distrito, houve a criação da 11ª Região Militar de Inspeção Permanente, a qual foi empregada com sucesso na pacificação da sangrenta insurreição do Contestado. Neste episódio, a Região atreveu-se a lograr êxito graças à visão e ação enérgica de seu comandante, General Setembrino de Carvalho.

A Região “Heróis da Lapa” teve participação marcante e decisiva em vários momentos históricos do Brasil, tendo atuado de Norte a Sul desta imensa e grandiosa nação. Também fez-se presente no além mar.

Em 1945, a Força Expedicionária Brasileira contaria com a presença de expressivo contingente da 5ª Região Militar na luta contra o nazifascismo. Muitos tombaram pela liberdade nos campos de batalha na Itália, destacando-se ilustres heróis da história militar brasileira, entre eles: O Capitão Thorio Benedro de Souza, os Tenentes Ary Rauen, Max Wolf Filho e o Sd Constantino Marochi, dentre outros.

Já na década de 1960, cerca de 1.000 militares da 5ª Região integraram o Batalhão Suez, sendo bravos precursores na mantença da paz mundial. Este exemplo de dedicação é seguido até os dias atuais com o envio de tropas de paz ao Haiti.

A 5ª Região Militar recebeu a denominação histórica de “Região Heróis da Lapa”, em 21 de julho de 1989, fato que enaltece seus feitos hercúleos e pétreos em defesa da Pátria e de seu Povo.

Recentemente, em 27 de março de 2014, por Decreto Presidencial, houve a separação da 5ª Divisão de Exército da 5ª Região Militar, promovendo maior agilidade, flexibilidade, modularidade e maior resiliência a este grande Comando Administrativo, Logístico e Territorial.

Atualmente, a 5ª Região Militar provê sustentação de combate e vida administrativa a mais de 18.000 militares da ativa, 6.000 da reserva, 9.000 pensionistas e 20.000 dependentes, tendo sob sua responsabilidade 53 Organizações Militares, 20 Tiros de Guerra e 36 Delegacias do Serviço Militar.

Se, em tempos de guerra, são fundamentais as atividades desempenhadas por uma Região Militar, na paz sua presença é inconteste tanto quanto necessária, relevante e profícua.

É ela que dá suporte à vida do militar e a de sua família. É ela que se envolve em peleias e embates sempre reais, diuturnamente, sem descanso nem esmorecimento. É ela que labora, digladia e vence no complexo campo das atividades da administração, da logística, do serviço militar, do patrimônio, da alta gestão e dos assuntos de cunho iuris.

Nesse diapasão, a Região “Heróis da Lapa”, sempre trilhou o mais reto dos caminhos, com altivez, perspicácia e honradez.

Por tudo isso, sentimos orgulho e honra para regozijarmos e recuarmos no tempo, desde o outrora 02 de julho de 1891, quando tudo começou. Relembrando com júbilo nosso passado de glórias e desafios futuros. Dele, por ele, e para ele, Deus salve a “Região Heróis da Lapa” - Nasceu Forte!!!

Vídeo Institucional

Autor - Maj QMB MAXWELL Norbim Calvi

Fim do conteúdo da página